Notívago por vocação

(ou “A surdez da telha de zinco”)

Cai a noite em silêncio.
A lua cheia ilumina o lago.
O gato no muro dorme tranquilo.

As horas passam sutilmente
no relógio da parede ao lado.

No silêncio da madrugada,
como se fosse combinado,
fico sem você e te amo calado.